Venha conosco para a Cúpula dos Povos

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Obama e a Mídia brasileira


Reproduzo aqui um comentário publicado no Observatório da Imprensa que é muito pertinente e esclarecedor da tendência ideológica conservadora da mídia brasileira que vem se tornando mais atrasada e se distanciando do atual Nobel da Paz .

LEITURAS DO FIM DE SEMANA
A vanguarda do atraso - Por Alberto Dines em 19/10/2009 Comentário para o programa radiofônico do OI, 19/10/2009

Para exibir sua isenção e objetividade, a grande mídia deu neste último fim de semana bastante destaque ao conflito entre a Casa Branca e o canal de notícias americano Fox News. Algumas análises sobre o caso apareceram ao lado da ofensiva da Casa Rosada contra a mídia argentina como se tratasse de episódios similares. Veja, como sempre, foi mais longe e classificou como "ridícula" a disposição de Barack Obama em enfrentar o magnata Murdoch.






Nossa imprensa mais uma vez exibe o seu potencial de simplificação e generalizações, sempre de olhos em comparações. Em primeiro lugar é preciso ter em conta que a imprensa americana é muito diversificada, há veículos liberais e progressistas, há reacionários agressivos e há conservadores equilibrados. Portanto, se a Casa Branca reage à histeria de um canal de extrema direita está no seu legítimo direito. Ruim seria se o presidente americano investisse contra a mídia em geral como tem acontecido com muita freqüência no Hemisfério Sul.

O que está acontecendo neste momento na mídia brasileira no tocante a Obama é uma reação concatenada contra certas opções políticas adotadas pelo governo americano que o lobby brasileiro considera "esquerdistas". Exemplo: as "intervenções brancas" na indústria automobilística e bancária e o novo sistema de saúde pública, ambos fortemente estatizantes.

Guerra Fria

Mas qual seria a opção da grande mídia brasileira – deixar que os bancos e as montadoras de Detroit falissem? Quem teria condições de reverter o caos dos serviços médicos americanos – os planos de saúde privados?

É evidente que a Casa Branca não está minimamente interessada na reversão das posições da mídia brasileira que trocou rapidamente o entusiasmo anterior por um ceticismo militante contra Obama. Esta reversão, porém, interessa a nós, leitores, ouvintes, internautas e telespectadores brasileiros, condicionados por critérios originários no mundo de ontem.

O principal aporte do presidente americano é a sua disposição de abandonar os parâmetros da Guerra Fria que vigem há 64 anos, desde 1945. Nossa mídia ainda aposta neles: além de conservadora, está muito atrasada.

Nenhum comentário:

BLOGOSFERA PROGRESSISTA

Arquivo do blog

Seguidores

JACOB (J.) LUMIER NA O.E.I.

Partilhar


Share/Save/Bookmark Support CC Add to Google Add to Technorati Favorites Technorati Profile Compartilhar Delicious Bookmark this on Delicious
Central Blogs

Liga dos Direitos do Homem

Greenpeace

Greenpeace
L'ONG non violente, indépendante et internationale de protection de l'environnement